Buscar
  • Carlos Jensen

Drone: brinquedo ou ferramenta?

Nem sempre é fácil diferenciar um drone profissional de um de brinquedo.

Por quê um custa R$ 300,00 e o outro mais de R$ 6.000,00?

Embora a uma primeira vista os dois drones abaixo sejam muito parecidos, as semelhanças param por aí.

Um drone semiprofissional ou profissional tem uma série de recursos que dão mais inteligência ao equipamento.

Recursos como retorno automático em caso de perda de contato com o rádio controle, seguir um objeto ou pessoa, voos estabilizados, desvio de obstáculos, estabilização mecânica da imagem e uma série de outros recursos que diferenciam de um brinquedo.

Os de brinquedo normalmente não têm GPS, a qualidade da imagem capturada é baixa, não têm estabilização nem voos inteligentes. São de fato, brinquedos interessantes, mas não têm potencial para uso comercial.

A DJI é a empresa líder mundial no segmento de drones. O modelo de entrada mais interessante é o DJI Mini 2. Ele tem rádio com alcance de mais de 3 km (depende de uma série de fatores, mas na cidade é aproximadamente isso), vídeos com 4K e câmera de 16 megapixels e uma bateria com duração aproximada de meia hora.

No caso dos drones de brinquedo, todo o controle é feito pelo piloto e exige uma certa experiência para manter o drone no lugar ou gravar imagens. É uma ótima opção para quem deseja se divertir, sendo que alguns fazem piruetas e outros movimentos interessantes.

E qual devo escolher? Depende do seu interesse e disponibilidade financeira, mas se deseja produzir um material de qualidade, é necessário investir em um equipamento à altura. Se o interesse é diversão ou a verba é curta, os modelos mais baratos são uma ótima escolha.

Na foto, um drone da marca Syma e um DJI. Por fora, muito parecidos, mas a tecnologia de cada um não tem comparação.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo